A Kibo Energy, antiga Kibo Mining, renovou e expandiu o memorando de entendimento assinado com a estatal Electricidade de Moçambique (EdM) para financiar e construir o projecto de Benga, informou a empresa em comunicado divulgado quarta-feira.

A empresa cotada nas bolsas de Londres e de Joanesburgo informou igualmente que a EdM está empenhada em prestar a assistência necessária para o desenvolvimento do projecto de Benga, cujo estudo de viabilidade, tanto económica como operacional, está a progredir rapidamente.

O projecto de Benga, em que estão associadas numa parceria a Kibo Energy e a empresa moçambicana Termoeléctrica de Benga, visa a construção naquela localidade da província de Tete de uma central térmica alimentada com uma capacidade estimada em 150 a 300 megawatts.

Louis Coetzee, presidente executivo da Kibo Energy, afirma no comunicado “estamos a fazer grandes progressos em Moçambique com o desenvolvimento do projecto de Benga a avançar de acordo com o plano.”

A empresa anunciou por outro lado ter sido decidido alargar por um período de mais quatro meses até 30 de Março de 2019 o prazo-limite para a confirmação final do acordo de desenvolvimento estratégico com a empresa chinesa SEPCO3.

A irlandesa Kibo Energy e a chinesa SEPCO3 haviam acordado alargar até 30 de Novembro passado o prazo para que esta última empresa decidisse sobre uma ou mais investimentos no capital social da primeira, segundo um comunicado divulgado no início de Outubro.

A Kibo Energy havia anunciado a 3 de Julho ter chegado a um acordo de desenvolvimento estratégico com a SEPCO3, uma grande empresa de construção civil no sector da energia, nomeadamente nos projectos em Moçambique.

O acordo assinado estabelecia que a SEPCO3 iria proceder a um investimento em duas fases no capital social da Kibo Energy, apoiando em simultâneo a estratégia e a posição no mercado africano da empresa irlandesa.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here