A Africa Energy Indaba anunciou o tema da próxima edição de 2024 da exposição Indaba.

O evento sobre energia será realizado sob o tema – ‘Capacitar, Energizar, Excel: A Primeira Exposição de Energia de África.’

Programado para 5 a 7 de março de 2024, no Centro Internacional de Convenções da Cidade do Cabo, na Cidade do Cabo, na África do Sul, o evento na vanguarda africana de uma revolução energética transformadora.

“Nossa exposição tem como objetivo capacitar as nações, apresentando os mais recentes avanços em tecnologia energética. Desde soluções renováveis ​​até inovações de ponta, os participantes testemunharão as ferramentas e estratégias que moldarão o futuro da energia em todo o continente”, afirmaram os organizadores.

Advertisement

De acordo com os organizadores, a exposição reunirá líderes da indústria, visionários e partes interessadas para explorar as vastas possibilidades no panorama energético de África.

Além disso, os participantes terão a oportunidade de participar em debates instigantes, exposições dinâmicas e demonstrações práticas que destacam o poder da colaboração e da inovação na dinamização do potencial de África.

“Capacitar, Energizar, Excel” não é apenas um slogan; é um apelo à ação. Juntos, iremos destacar-nos ao promover parcerias, promover práticas sustentáveis ​​e criar um roteiro para a excelência no setor energético.”

A exposição proporcionará uma plataforma para networking, troca de conhecimentos e colaboração que vai além das fronteiras e prepara o terreno para um futuro onde África lidera a transformação energética.

Os organizadores disseram que os principais destaques dos eventos são mostras de tecnologia de ponta, apresentações instigantes de ofertas de produtos e serviços, oportunidades de networking com líderes e especialistas da indústria, exposições e demonstrações interativas e reconhecimento das conquistas de inovação e sustentabilidade no setor de energia.

Artigo anteriorGrupo de ação da Commonwealth lançado para ajudar os países africanos a reduzir as emissões de metano
Próximo artigoImposto sobre carbono da UE para prejudicar África no comércio